quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

O Cine Niterói (ex-Cinema Odeon)

Loja vizinha

Inaugurado em 1934, o Cinema Odeon de Niterói - em homenagem ao exibidor Francisco Serrador, que criara o Cinema Odeon carioca, em 1926 - foi o primeiro "palácio de cinema" moderno em Niterói, inaugurando os cinemas em art deco na cidade.
Era o maior cinema da cidade e permaneceu sendo uma das principais salas de exibição de Niterói. Décadas mais tarde, já incorporada ao circuito Severiano Ribeiro, após anos sendo chamada de "Odeon-Niterói", a sala definitivamente trocou de nome para "Cine Niterói". Entretanto, há resquícios do antigo nome do cinema como ponto de referência local, por exemplo, no comércio vizinho à sala, como uma pequena loja de fotografia.

Cinema Niterói no início dos anos 1980
Como relatei em meu livro "Cinematographo em Nictheroy" (p. 230), a sala foi fechada em dezembro de 1997 e os jornais da época publicaram melancólicas fotos da retirada das poltronas do cinema.
Como uma das mais antigas edificações daquele trecho da Rua Visconde de Rio Branco, o Cine Niterói era afastado da calçada, possuindo um pátio frontal, descoberto, onde ficavam as filas para a bilheteria. Posteriormente (quando o centro deixou de ser um endereço nobre de Niterói) foi colocado um muro gradeado na entrada do terreno, contendo o letreiro com o título do filme, dos atores, a censura e os horários das sessões. 

Visão geral do belo prédio art deco
Entrada do cinema por volta de 1997

Ainda nos anos 1970, havia planos de ocupar aquele espaço "vazio" à frente do cinema com um prédio comercial semelhante aos que vinham sendo construídos nos terrenos ao lado da sala de exibição. 
Logo após o fim do uso do espaço como cinema, o prédio foi ocupado por uma loja de tecidos que manteve a estrutura intacta. 
Posteriormente, porém, o prédio deu lugar a lojas populares que criaram uma estrutura feia e precária que dava continuidade ao prédio principal e chegava até a marquise sob a calçada, alongando o espaço comercial.
O antigo cinema hoje
Curiosamente, ainda é possível ver, de longe, a parte de cima do cinema, isto é, do prédio original (de cor bege), mais alto que a nova estrutura pintada de roxo.
Nas fotos abaixo, tiradas em 2013 do outro lado da Visconde de Rio Branco (quase na calçada do Shopping Bay Market), é possível vislumbrar o telhado e parte do segundo pavimento do antigo cinema.





Entretanto, embora poucos notem, dentro da loja a arquitetura do cinema ainda é visível, mesmo que através de rastros hoje mascarados.
A entrada da loja, que ocupou o antigo pátio ao ar livre do cinema
Com o "puxadinho" a loja ficou bastante profunda, mas indo até o final dela, percebemos que estamos dentro da antiga plateia do cinema. Se olhamos para frente vemos onde ficava a tela. Ao fundo, hoje vazada, a a estrutura original de 1934 para as telas menores e mais quadradas de então (1:1,37). Mais a frente, percebe-se a moldura construída nos anos 1950 para as maiores e mais retangulares telas panorâmicas. É a sala de cinema como um verdadeiro palimpsesto da história das tecnologias audiovisuais.
Onde ficava a tela do cinema, a antiga (quadrada) e moderna (panorâmica)

Olhando para trás, vemos onde ficava o balcão do cinema que chegou a ter mais de 2 mil lugares. Hoje, sem as poltronas, o balcão é ocupado por caixas de papelão, servindo de depósito de mercadorias.

Onde era o balcão do cinema.
 Outros detalhes chamam a atenção se conseguimos olhar por cima da iluminação de lâmpadas fluorescentes e a decoração de natal. Um antigo vitral de um lado, as pilastras e os espaços ocupados pelas caixas de som e saídas de ventilação de outro..
Decoração geométrica do antigo hall do cinema

parede lateral da sala com as saídas de ar-condicionado
Antigo hall do cinema onde ficavam as escadas para o balcão.



 Enfim, o Cine Niterói ainda existe. Enquanto ele continuar de pé, restará o sonho de que um dia ele possa voltar a ser o que ele foi construído para ser. Um espaço de sonhos.

3 comentários:

  1. Quanta saudades; às vezes entrava nele nos dias de calor só prá descansar...grande , espaçoso.

    ResponderExcluir
  2. Excelente passeio arqueológico pelo atual espaço, com um olhar focado nos traços indicadores de um ex-cinema de rua, ainda possíveis de serem observados no atual presente dessa edificação. Uma pena mesmo que a entrada majestosa do Cine Odeon de Niterói tenha sido destruída...Apesar de ter sido um "cinema de rua" aquela entrada ficava afastada do trânsito, funcionava como uma passarela que indicava as escadarias, tinha um belo piso com desenhos geométricos e canteiros laterais, com bancos inclusive. Só me lembro de algo um pouco parecido aqui no Rio, o Cine Leopoldina, entre a Penha e Olaria, inaugurado em 1954 (com o clássico "Nem Sansão nem Dalila"), também um pouco afastado da rua e com canteiros. Uma entrada mais larga entretanto, e com bilheteria localizada embaixo e na parte central de uma elegante marquise arredondada (como a do Cine Santa Alice, no Engenho Novo). Enfim...repetindo aqui o pesquisador-arqueólogo, tomara que um dia esses espaços voltem a ser o que foram no passado! (Santa Alice hoje é igreja...e o Leopoldina, que já foi casa de shows, acho que hoje é loja ou depósito).

    ResponderExcluir